Mentor em destaque: Majka

 

No blog desta semana, temos o prazer de apresentar a nossa mentora, Majka. Como mentora de trabalho na EMTG, a Majka ajuda tanto profissionais como instituições de saúde a otimizar a sua produtividade, eficácia e sinergia. Este blog fornece uma visão geral de como ela dá suporte aos Enfermeiros internacionais que se mudam para a Holanda. 

Majka tem uma vasta experiência em viver e trabalhar fora e isso permite-lhe compreender melhor como os Enfermeiros se sentem quando se trata de começar uma carreira e uma vida num país novo. O fato de ela ter trabalhado em diferentes posições em todo o mundo, juntamente com sua experiência em coaching, faz dela um elemento fundamental para a equipa de mentores. Os nossos Enfermeiros dizem que ela é uma pessoa de trato fácil e sempre disposta a pensar com eles. 


Podes contar-nos algo sobre ti?  

Sou casada com o Alexander e mãe de 3 adolescentes (Jasmijn, de 14 anos, Wouter e Anouk, de 12). Regressei à Holanda em 2017 e vivo em Oosterhoud, Noord Brabant. Esta é a área onde cresci! Antes disso, trabalhei mais de 11 anos para a Philips Lighting como marketeer em diferentes posições em Espanha, Dubai e também na Holanda. No total, tive o prazer de trabalhar fora por mais de 20 anos. Em 2007, após o nascimento da minha primeira filha, decidi deixar a Philips e começar a estudar coaching. Junto com um colega holandês comecei a desenvolver programas de formação interativa para Médicos e Enfermeiros com o objetivo de melhorar a relação entre estes e os pacientes. Quando voltei para a Holanda estava à procura um emprego onde a minha experiência fosse uma mais-valia e foi assim que conheci a EMTG.  

No meu tempo livre gosto de fazer caminhadas, ler praticar de ioga e pilates. 

O que te inspirou a ser mentora de trabalho? 

Penso que as minhas experiências pessoais e o meu percurso profissional me levaram a querer estar aqui! Depois de terminar os meus estudos, ainda jovem, fui para Madrid sozinha e por isso consigo colocar-me no lugar dos nossos profissionais de saúde e crio facilmente empatia com eles. Aliás, quando eu própria regressei à Holanda também demorei muito para me adaptar novamente à vida cá. Por isso, é com um enorme prazer que desempenho este trabalho com os Enfermeiros! 

O que significa este emprego para ti? 

Significa ser capaz de mostrar empatia, prestar apoio e uma escuta ativa. Fico muito satisfeita quando posso oferecer aos nossos profissionais de saúde o suporte de que precisam, tanto pessoal quanto profissionalmente. 

Das funções que tens como mentora de trabalhona EMTG, quais são as que mais gostas? 

O que acho mais interessante e gosto mais é treinar e orientar o processo de crescimento dos profissionais de saúde. Orientá-los e estar lá para que possam dar os passos que precisam em busca do seu desenvolvimento como profissionais de saúde. É ótimo ver que, com o tempo, eles tornam-se cada vez mais confiantes nas suas funções. 

 

 

 

 

 “Fico muito satisfeita quando posso oferecer aos nossos profissionais de saúde o suporte de que precisam, tanto pessoal quanto profissionalmente.

 

 

Qual é a memória mais gratificante que tens por seres mentorana EMTG? 

No início é normal existirem algumas dificuldades pelas quais os profissionais passam, sejam elas no contexto laboral ou pessoal. As melhores recordações que tenho são quando vejo que, após essas primeiras dificuldades, os Enfermeiros vão ficando gradualmente mais satisfeitos e apercebem-se do seu próprio crescimento. 

A pandemia afetou a maneira como tu interages com os Enfermeiros? Comunicas com eles com mais frequência agora que as videochamadas se tornaram a norma? 

Durante a pandemia, o contato com os Enfermeiros costumava ser feito online. Felizmente, recentemente pudemos voltar a encontrar-nos pessoalmente com mais frequência, quer seja nas suas casas, no escritório da EMTG ou nas próprias instituições de saúde. Isso torna o meu trabalho mais agradável e o contato mais frequente. Claro, com as devidas precauções. 

Quais são para ti os maiores desafios do teu trabalho? Como é que os ultrapassas? 

Gerir as expectativas de cada um em relação a questões desde o estilo de vida, às casas, aos transportes, ao fluxo de trabalho, etc. Tento informá-los da forma mais clara e honesta possível sobre o que está reservado para eles. Acredito que isso deva ser feito passoapasso para não os sobrecarregar, isto porque há uma enorme quantidade de tarefas para eles realizarem durante os primeiros meses que estão aqui. 

Como é que garantes que os profissionais de saúde permanecem calmos durante este período crise pandémica? 

Principalmente, estando aqui para eles e através de uma escuta ativa e atenta procura ajudar no que posso. Se assim isso não funcionar, tenho a sorte de poder contatar qualquer um dos meus colegas para ajudar. 

Que conselho dás aos profissionais de saúde que se mudam para a Holanda? 

Sejam flexíveis, tenham a mente aberta e aprendam a andar de bicicleta antes de se mudarem para a Holanda 😊  Assumam as vossas responsabilidades e sejam proativos. Peçam apoio quando necessário! E, claro, também muito importante: pratiquem o vosso holandês o máximo que puderem!

Na EMTG, compreendemos a importante decisão os Enfermeiros tomam ao decidir trabalhar no estrangeiro e aprender um novo idioma. Portanto, os mentores de trabalho da EMTG estão aqui para prestar suporte durante o todo o programa EMTG e facilitar adaptação de cada um à cultura do país. 

Para obteres mais informações sobre o programa EMTG, contacta a nossa equipa de recrutamento. 

Translate »

Our site uses cookies. Cookies make the website more personal and user-friendly. Read more about cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close