Porque cuidamos 

 

 

Esta semana começamos uma nova série de entrevistas onde a atenção incide sobre o papel dos coaches da EMTG. O nosso objetivo é dar a conhecer a forma como estes ajudam os profissionais de saúde da EMTG e as instituições de saúde a otimizar as suas competências, desenvolver o seu potencial de crescimento pessoal e profissional e otimizar a produtividade entre ambos. Os coaches ajudam os Enfermeiros quando estes chegam à Holanda, trabalham em conjunto com os profissionais de saúde para aprimorar as suas habilidades no idioma holandês e atuam como mentores nas suas atividades profissionais. 

Para dar o pontapé inicial nesta nova série, apresentamos a coach Cora! Ela adora ajudar as pessoas e tem um enorme carinho pela área da saúde pois foi Enfermeira durante várias décadas. Depois de uma vasta experiência no terrenoa Cora decidiu assumir um papel de liderança para orientar uma nova geração de Enfermeirasdaí ter-se dedicado ao coachingOs Enfermeiros dizem que ela é uma pessoa incrívelaberta a sugestões, clara e concisa na forma de comunicar! 

Podes contar-nos algo sobre ti? 

Eu sou Cora e trabalho na EMTG desde abril de 2020. Durante toda a minha carreira, trabalhei na área da saúde e ao longo dos anos tive diferentes funções e posições, mas sempre no atendimento a idosos. Passei a maior parte da minha carreira trabalhar em lares e residências para idosos, mas também trabalhei em apoio domiciliário durante algum tempo. 

 

O que te inspirou a ser coach? 

Eu queria muito um novo desafio profissional e quando vi que a EMTG estava à procura de alguém para este cargo fiquei animada e decidi seguir em frente! Pela minha formação e experiência profissional, conheço a realidade nos lares e sei quais são as exigências da Enfermagem na Holanda. Esse trabalho deu-me a oportunidade de partilhar minha experiência e de orientar novoEnfermeiros. 

 

Das funções que tens como coach da EMTG, quais são as que mais gostas? 

O que eu mais gosto é do momento em que conheço pessoalmente os Enfermeiros pela primeira vez, antes de eles começarem a trabalhar. Este é um momento importante porque é aqui que nós lhes explicamos como é que ser Enfermeiro na Holanda e quais os protocolos que eles terão de seguir. Depois, vou com eles aos seus locais de trabalho para garantir que tudo corre pelo melhor. Ver que eles se adaptam à vida na Holanda com relativa rapidez, em parte devido à nossa orientação, dá-me uma sensação de realização. 

 

 

 

 

 ”Fico de coração cheio ao ver que, quando visitamos a organização, as pessoas ficam impressionadas com a capacidade dos nossos Enfermeiros comunicarem em holandês.”

 

 

 

Quais são para ti os maiores desafios do teu trabalho? Como é que os ultrapassas? 

Por vezes é difícil apresentar rapidamente oEnfermeiros a uma instituição de saúde. Principalmente agoraque estamos a atravessar um momento de pandemiamuitos contatos são feitos via online e à distânciae isso exige muita paciência por parte dos profissionais de saúde. É compreensível que fiquem impacientes por estarem desejosos para começar a trabalhar e quererem ver o local de trabalho o mais rápido possível. Nós, coaches, mantemos sempre o contato com oEnfermeiros e fazemos sempre o nosso melhor. Assim que eles finalmente podem começar a trabalhar, eles acabam por esquecer estes desafios e descobrem que a espera valeu a pena! 

 

Como é que garantes que os profissionais de saúde permanecem calmos durante este período crise pandémica? 

Tal como referi anteriormente, isso requer paciência, compreensão e tolerância. É uma situação difícil para todos e, devido à pandemia, a vida mudou. Não ajuda se entrarmos em pânico por isso eu tento comunicar mais com os Enfermeiros e procuro ouvi-los para que seja mais fácil para eles. 

 

Qual é a memória mais gratificante que tens por seres coach da EMTG? 

O que realmente me deixa com muita energia é quando vejo que os Enfermeiros estão entusiasmados para começar este novo desafio na Holanda, mas ao mesmo tempo tensos. Na maior parte dos casos, ao fim de apenas um dia, os nervos passam e eles ficam felizes. Para que eles encontrem o seu lugar cá, depois do trabalho, conversamos sobre todos os tipos de coisas e isso ajuda. Além disso, fico de coração cheio ao ver que, quando visitamos a organização, as pessoas ficam impressionadas com a capacidade dos nossos Enfermeiros comunicarem em holandês. Isso realmente ajuda no nosso trabalho. Também o fato de estarem quase imediatamente prontos para o exame B1 é muito bom! 

 

Que conselho dás aos profissionais de saúde que se mudam para a Holanda? 

Tenham paciência uns com os outros. Antes de começarem a trabalhar na Holanda, procurem informar-se sobre como é trabalhar na Holanda. Podem encontrar muitos fatos divertidos na internet (nas redes sociais, YouTube e blogs)Estenão só vos dão informações úteis sobre o cenário que encontrarão aqui como vos ajudam a praticarem o holandês! 

 

Compreendemos a importante decisão de vida que os novos Enfermeiros EMTG tomam ao decidir trabalhar num novo país e com um novo idioma. Por isso, os coaches da EMTG estão aqui para fornecer suporte durante o programa de EMTG de modo facilitar a adaptação à cultura e ao trabalho. 

Para mais informações sobre o programa EMTG, entra em contato com o recrutador do teu país. 

Se és Enfermeiro e estás à procura de novas oportunidades de trabalho na Holanda, convidamos-te a visitar o nosso website. 

 

Translate »

Our site uses cookies. Cookies make the website more personal and user-friendly. Read more about cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close