História

Aprender Holandês na Costa Blanca

“É incrível a EMTG oferecer um curso de língua grátis.”

Na cidade espanhola de Javea na Costa Blanca, trinta en fermeiros(as) e Auxiliares de Cuidados do Sul da Europa irão, durante três meses, imergir na língua e cultura holandesa. A razão? Eles vão, em breve, começar a trabalhar num lar de idosos ou num hospital na Holanda.

O enfermeiro italiano Marco Ciriaco não queria acreditar quando apenas meia hora após ter enviado o seu CV para a European Multi Talent Group, recebeu uma chamada e foi convidado para uma entrevista de emprego via Skype. Tendo a mesma vindo a ser realizada apenas dois dias depois. “Em Itália decorrem semanas para receber uma resposta, por vezes meses”, explica-nos ele enquanto bebe o seu café.

Ciriaco é um dos vinte e um enfermeiros e auxiliares de cuidados que começaram o curso intensivo de Língua e Cultura holandesa que a EMTG ofereceu em setembro. O grupo é constituído espanhóis, italianos, e colombianos com nacionalidade espanhola. Durante três meses eles iram viver numa bonita habitação na pequena vila de Javea na Costa Blanca espanhola. Aqui, dois professores de Holandês iram preparara-los para o teste oficial de Holandês, como segunda língua. Assim que passarem no teste, os Enfermeiros podem dar inicio
à inscrição no registo oficial holandês para enfermeiros(as), o registo no BIG. Este registo é um requisito para trabalhar legalmente como Enfermeiro na Holanda. Os Auxiliares de Cuidados podem começar a trabalhar sem este registo.

Antes de entrar em contacto com a EMTG, Ciriaco tentou encontrar trabalho como enfermeiro na Irlanda, mas sem sucesso. “Eu tive que pagar quinhentos euros só pelo registo.”, explica ele. “. “O processo de registo como enfermeiro foi também muito complicado. Não tive a ajuda de ninguém. Mas agora com a EMTG é totalmente diferente. Eles ajudam-me com o meu processo de registo e isso sem custos nenhuns.”

Caretaker Asier Diez (20) admite que quando viu a vaga de emprego da European Multi Talent Group, ficou um pouco na dúvida ao início. Enquanto ele prepara uma sandes para o pequeno-almoço, ele explica: “Eu estou habituado às condições de trabalho em Espanha. Lá eles dar-me-iam, normalmente, um contrato de duas semanas. Claro que é comum eles o renovarem, mas não dão certeza nenhuma. Por isso, em Espanha, eu estava constantemente com receio de perder o emprego. A EMTG não só me garante um emprego, como ainda me oferece um curso intensivo de Holandês grátis e ainda 1050 euros para despesas de deslocalização. Portanto, quando eu contei aos meus amigos sobre esta oferta, eles todos me disseram: “Deve haver aí algum tipo de truque.””

O curso de Holandês e o alojamento na academia, incluindo as refeições, são inteiramente pagos pela European Multi Talent Group e o European Job Mobility Portal Eures.

A European Multi Talent Group é constituída por um grupo de profissionais que faz a mediação entre as instituições de saúde holandesas e os Enfermeiros e os Auxiliares de Cuidados, provenientes dos países do Sul da Europa, tais como Itália, Espanha e Portugal.

 

Uma mala cheia de típicos produtos holandeses

Hoje, o fundador da empresa Arnold Smeink e o seu colega Angelo Hiraldo Vos vieram prestar uma visita aos estudantes e trouxeram uma surpresa com eles: uma mala cheia de produtos típicos holandeses, tais como stroopwafels (bolachas com recheio de caramelo) e drops (gomas de anis). “Isto é muito mais que um curso de língua holandesa.”, diz Smeink. “É também uma introdução à cultura holandesa. A comida é uma parte importante dela.”.

Smeink trabalha desde à trinta anos no recrutamento. De 2008 a 2011, ele próprio viveu na Costa Blanca, numa pequena aldeia perto de Javea, chamada Benissa. Foi durante esses três anos, que o empreendedor teve a ideia para a European Multi Talent Group. “Nesse tempo, Espanha estava a sofrer um forte impacto da crise económica, o desemprego era bastante elevado. Havia milhares de Enfermeiros e Auxiliares de Cuidados desempregados no país. Eu tomei consciência do desperdício que isso significava, tendo em conta a alta qualidade dos cuidados que os Enfermeiros espanhóis têm para oferecer.”

 

Enorme procura de enfermeiros(as) do Sul da Europa

Nesse período desenvolveu-se uma crescente escassez de enfermeiros(as) na Holanda. “Eu pensei. Porque não prover as instituições de saúde holandesas com Enfermeiros do Sul da Europa?” diz Smeink. “Desta forma eu podia ajudar Enfermeiros espanhóis e italianos a continuarem as suas carreiras e ao mesmo tempo, contribuir para a solução da falta de Enfermeiros na Holanda. Mas devido a um súbito corte no orçamento da Saúde Holandesa, as instituições deixaram de contratar novos profissionais. Como consequência, Smeink não teve outra opção se não adiar o seu projeto. Mas à dois anos atrás, o Governo Holandês decidiu investir em melhores cuidados de saúde e libertou fundos para mais Enfermeiros altamente qualificados. Como consequência, houve novamente uma carência de Enfermeiros.

A EMTG atualmente coopera com quarenta instituições de saúde diferentes, espalhadas por toda a Holanda. Já não precisa de se publicitar, porque as próprias instituições de saúde a procuram. “Existe lá uma enorme procura de Enfermeiros do Sul da Europa. Neste momento, a procura é superior ao número de Enfermeiros que eu consigo fornecer.”

 

“Cantar é uma forma ideal de praticar os sons da língua Holandesa”

“Waar woon jij? Hoe heet jij?”. Hoje é a primeira aula e a professora Trudi van Dorp pratica frases básicas em Holandês com os alunos como: “Onde é que tu vives?” ou “Como te chamas?”. Van Dorp é uma professora excecional e dedicada. “Eu diria que ensinar é o amor da minha vida.”, diz ela entusiasmada. Depois de terminar os seus estudos em Língua e Cultura Holandesa na Universidade de Amsterdão, Van Dorp começou a trabalhar como professora de Holandês para estrangeiros. À trinta anos atrás, mudou-se para Javea, onde começou a sua própria escola de línguas. Aqui, ela ensina não só Holandês, mas também Espanhol e Inglês.

As aulas de Van Dorp são dinâmicas, ela alterna as tarefas no computador ou no livro de estudo com típicas canções Holandesas para crianças, tais como: Altijd is Kortjakje ziek. “Cantar é uma forma ideal de praticar os sons da língua Holandesa”.

Com as suas duas piscinas e o seu grande jardim, a casa em Javea parece mais com uma casa de férias do que uma escola. Também não existe uma clássica sala de aulas, os alunos utilizam diferentes partes da casa, bem como do jardim, para estudar em pequenos grupos. O ambiente pode parecer relaxado, mas é dinâmico. É esperado que os alunos trabalhem bastante durante os próximos três meses. Aos domingos eles têm o dia livre, mas nos outros seis dias da semana, eles têm aulas e estudam das nove horas da manhã às nove horas da noite. No final de contas, o objetivo é que eles no final de três meses tenham atingido o nível B1 de Holandês. Durante as primeiras semanas, o foco dos estudantes será o conseguirem o nível básico de Holandês, mas logo de seguida, eles também irão aprender linguagem especifica que irão precisar para a sua profissão.

 

Muito mais do que só um curso de Holandês

O curso de língua Holandesa é contudo, muito mais que só aprender Holandês. Por exemplo, tal qual na Holanda, os estudantes comem uma sandes como almoço à uma da tarde e jantam às dezoito horas. Smeink: “ Os espanhóis têm como costume jantar às nove da noite. Para eles especialmente, é muito cedo jantar às seis e meia da tarde. Mas é importante para eles habituarem-se aos horários holandeses. Afinal, os idosos que eles vão cuidar também comem entre as seis e as sete da tarde”.

O curso também irá abordar a questões sobre a relação profissional entre Médicos e Enfermeiros na Holanda. Considerando que em Espanha e Itália, dos Enfermeiros é esperado que façam o que o médico diz, na Holanda espera-se que os Enfermeiros usem o seu próprio julgamento para o bem-estar dos pacientes. “Em Espanha, o relacionamento entre os diferentes profissionais é muito mais hierarquizado do que na Holanda”, explica Smeink. “Nos Países do Sul, o médico é considerado muitas vezes o chefe, enquanto que nos hospitais e lares holandeses, Enfermeiros e Médicos são considerados uma equipe onde existe cooperação. Isto significa que o juízo do Enfermeiro realmente interessa. É importante que os estudantes se familiarizem com isto.”

 

Jogos de papeis

Mais tarde no decorrer do curso, os estudantes irão praticar, através de jogos de papeis, o que é esperado ser dito em determinadas situações. Por exemplo: “o médico é da opinião que o paciente está em condições para ir para casa, você discorda. Como lhe irá dizer isso em Holandês?”.

Os estudantes irão também treinar a forma como comunicar com a família do paciente.

Smeink é da opinião que os Enfermeiros Holandeses podem também aprender muito com os colegas do sul. Ele explica: “Os Enfermeiros e Auxiliares de Cuidados de Espanha e de Itália comunicam com os pacientes de uma forma muito mais calorosa do que nós fazemos na Holanda. Eles pegam literalmente na mão do paciente. Tanto quanto eu pude perceber, os pacientes acham isto muito agradável e devido a isso colaboram muito mais. Isto facilita a eficiência dos cuidados.”.

“Pelo fim do dia Asier Diez, Auxiliar de Cuidados, olha para o dia que passou com satisfação. “Eu gosto realmente desta forma de aprender”, explica ele. “Eu estava com receio de que teríamos de estar horas apenas a ouvir o professor. Mas não é nada disso! Há muita interação durante as aulas”. Diez diz que ter que aprender Holandês do zero, não foi para ele razão para não trabalhar para a EMTG. “Eu penso que é fantástico a EMTG oferecer-nos a possibilidade para aprender Holandês. Eu tive muitas ofertas para trabalhar no estrangeiro como Auxiliar de Cuidados, mas a EMTG foi a única empresa que ofereceu um curso de línguas grátis.”

Ciriaco acha que foi um pouco de informação a mais para o primeiro dia. “Estou mesmo muito cansado”, diz ele. Ciriaco acabou o curso de Enfermagem o ano passado. Desde então, ele enviou pelo menos cinquenta currículos para hospitais e lares de toda a Itália, não tendo sido convidado uma única vez para uma entrevista. “Em Itália há sempre a possibilidade de trabalhar como Cuidador numa casa particular, mas eu penso que não quero isso. Eu prefiro trabalhar numa equipa.”

 

“Eu espero obter melhor reconhecimento como enfermeiro na Holanda.”

Ciriaco está entusiasmado em ir para a Holanda. “Tornar-me-ei finalmente independente. Devido aos baixos salários e à falta de empregos em Itália, é me impossível deixar a casa dos meus pais”. Ele espera também vir a receber maior reconhecimento pelo seu trabalho como enfermeiro do que em Itália. “Em Itália, os pacientes geralmente só têm respeito pelo médico e não pelos Enfermeiros. Eles consideram-nos inferiores”, explica ele.

 

EMTG oferece oportunidades de longo termo

EMTG continuará a apoiar os estudantes assim que eles chegarem na Holanda.

Smeink: “Eu quero criar uma excelente equipa de Enfermeiros e Auxiliares de Cuidados. Isto requer que eu continue a investir nas pessoas que eu contrato. O meu trabalho não termina quando eles assinarem o seu primeiro contrato. Pelo contrário, eu quero que eles desenvolvam o seu talento e quero prepara-los para darem novos passos na sua carreira. EMTG oferece realmente, aos Enfermeiros e Auxiliares de Cuidados, oportunidades de carreira de longo prazo.”

De três em três meses, a EMTG oferece a trinta Enfermeiros um curso intensivo de Língua e Cultura Holandesa. No inicio deste curso, os estudantes assinam um contrato de um ano para trabalharem num Lar na Holanda. Assim que eles passarem no exame de Holandês, nível B1, eles podem começar a trabalhar legalmente, como Enfermeiros. A EMTG oferece aos Enfermeiros não só um emprego, mas também lhes encontra alojamento e apoia o desenvolvimento da sua carreira futura.